27.9 C
Taboão da Serra
sábado, outubro 23, 2021
Início Brasil PF aciona polícia de países vizinhos e monitora possível fuga de André...

PF aciona polícia de países vizinhos e monitora possível fuga de André do Rap para África

As buscas pelo paradeiro do megatraficante André Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap, estão cada vez mais intensas. Segundo uma fonte da Polícia Federal (PF), que trabalha na investigação da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), forças policiais internacionais da maioria dos países da América do Sul foram acionadas sobre a situação de André do Rap e estão ajudando a PF a monitorar e encontrar o criminoso. A maior atenção da PF se volta para as fronteiras com Colômbia, Bolívia e Paraguai – onde a facção domina o comércio de armamentos e drogas. Esses países também são conhecidos por servirem de refúgio aos traficantes do PCC procurados pelas autoridades.

Uma possível fuga do chefe do PCC na Baixada Santista para a África é tratada como “improvável”, mas preocupa os investigadores brasileiros, que devem redobrar a atenção no monitoramento de pontes áreas para os países do continente. Em abril deste ano, Gilberto Aparecido dos Santos, o Fuminho, um dos atuais líderes do PCC, foi preso em Maputo, capital de Moçambique. Ele é considerado o braço direito de Marcola, como é conhecido Marcos Willians Herbas Camacho, apontado por investigadores como o chefe máximo da facção paulista.

Ao conceder habeas corpus para André do Rap, na última sexta-feira, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio, desagradou não apenas a cúpula da Segurança Pública paulista, mas toda a esfera federal, onde a soltura e fuga de André do Rap também foi considerada uma derrota para a segurança nacional. O traficante é acusado de administrar a exportação de drogas do PCC a partir do porto de Santos para a Europa e era o homem de confiança nas negociações com a máfia italiana ‘Ndrangheta.

No dia em decidiu pela liberação do criminoso, o ministro falou com exclusividade à Jovem Pan. Ele afirmou que não olha para a história do réu na hora de julgá-lo. “Eu olho o direito do réu. Não preciso me manifestar.” Questionado se, nesta ocasião, o melhor caminho era considerar que o réu é um membro importante do PCC, o ministro rebateu. “Se um dia eu olhar a capa [do réu], eu entrego a minha capa de ministro. Se for assim, é melhor colocar um paredão na frente do STF para fuzilamento.” Horas depois, o presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, reverteu a decisão do colega e determinou que André do Rap deve voltar para a prisão por ser “comprovadamente de altíssima periculosidade”.

- Advertisment -

Mais notícias

Oito cidades da Grande SP adiam aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 após impasse sobre marca da vacina

Motivo é a divergência entre os governos federal e estadual sobre qual imunizante deve ser aplicado como terceira...

Oito cidades da Grande SP mantêm vacinação contra Covid-19 no feriado da Independência

Barueri, Embu das Artes, Francisco Morato, Guararema, Itaquaquecetuba, Santana de Parnaíba, Santo André e São Caetano do Sul...

Vias da cidade de SP e rodovias registram congestionamento na véspera do feriado de 7 de Setembro

A Artesp prevê cerca de 5,1 milhões de veículos nas principais estradas que passam pela capital paulista. Trânsito...

Princesa das tintas, conheça a Syrah

A uva Syrah é tida como uma das castas mais antigas que existem. Marco Antonio Carbonari explica que,...