32 C
Taboão da Serra
segunda-feira, setembro 20, 2021
Início São Paulo Sorocaba já registrou mais de 1,8 mil casos de dengue em 2020

Sorocaba já registrou mais de 1,8 mil casos de dengue em 2020


Moradores devem redobrar cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti durante o calor. Moradores devem redobrar cuidados para evitar proliferação da dengue no calor
Divulgação
Com a chegada do calor, é possível notar o aumento da presença de pernilongos em Sorocaba (SP). Apesar dos mosquitinhos incomodarem, é necessário redobrar os cuidados para evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti.
O número de casos na cidade neste ano foi maior se comparado com o ano passado inteiro. Em 2019, foram registrados 1.079 casos de dengue contra 1.863 em 2020 até o momento.
“Nossa cidade é endêmica para dengue. Nesse período do segundo semestre, que começam o calor e as chuvas, é o período ideal para tirar os criadouros e evitar a proliferação do Aedes aegypti”, afirma a coordenadora de Vigilância em Saúde, Thais Butti.
Além dos casos confirmados, uma pessoa morreu em decorrência da doença e outros 13 casos de chikungunya, que também é transmitida pelo mosquito, foram confirmados na cidade.
“O foco é que a gente evite a proliferação do Aedes aegypti, que é o maior risco para nós nesse momento. Por isso que a gente fala para fazer uma vistoria uma vez por semana. Se você de repente encontrar um criadouro com larvas, a cada uma semana você mata a larva e ela não vai virar o mosquito adulto”, afirma.
Moradores devem tomar cuidados para evitar a proliferação da dengue em Sorocaba
Saiba como identificar
Segundo a coordenadora, a principal diferença entre o mosquito Aedes aegypti e um pernilongo é a coloração e o tamanho.
“O pernilongo é um pouco maior que o Aedes aegypti, mais amarronzado, é aquele que fica no nosso ouvido à noite e não deixa a gente dormir. O Aedes aegypti já tem um hábito diurno, ele incomoda a gente de dia, é menorzinho que o pernilongo comum e ele é bem preto com listrinhas brancas”, diz.
“Todos os insetos nesse período ficam mais ativos e aí eles se proliferam mais, se alimentam mais, é natural que aumente mesmo a infestação. No caso do Aedes aegypti, o ciclo dele, que antes durava 12 dias entre ovo, larva e pupa, agora vai durar 10 dias ou até menos, não menos do que sete dias”, afirma.
Por isso, os moradores devem ficar atentos e, além dos cuidados redobrados com a higienização, adotar medidas de proteção individuais para evitar contrair a doença.
“O que você pode fazer para evitar que os mosquitos e pernilongos te piquem? Em primeiro lugar, o uso de repelente, sempre observando o período de reaplicação do repelente, senão você fica desprotegido. Você pode usar calças compridas, blusas de manga comprida, colocar telas nas janelas e portas da sua casa.”
Moradores devem adotar medidas de proteção para evitar casos de dengue
Nicole Annunciato/G1
Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí

- Advertisment -

Mais notícias

Oito cidades da Grande SP adiam aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 após impasse sobre marca da vacina

Motivo é a divergência entre os governos federal e estadual sobre qual imunizante deve ser aplicado como terceira...

Oito cidades da Grande SP mantêm vacinação contra Covid-19 no feriado da Independência

Barueri, Embu das Artes, Francisco Morato, Guararema, Itaquaquecetuba, Santana de Parnaíba, Santo André e São Caetano do Sul...

Vias da cidade de SP e rodovias registram congestionamento na véspera do feriado de 7 de Setembro

A Artesp prevê cerca de 5,1 milhões de veículos nas principais estradas que passam pela capital paulista. Trânsito...

Princesa das tintas, conheça a Syrah

A uva Syrah é tida como uma das castas mais antigas que existem. Marco Antonio Carbonari explica que,...