17.9 C
Taboão da Serra
terça-feira, abril 13, 2021
Início Política Bolsonaro: Acabei com a Lava Jato porque não tem mais corrupção no...

Bolsonaro: Acabei com a Lava Jato porque não tem mais corrupção no governo

O presidente Jair Bolsonaro declarou nesta quarta-feira, dia 7, que “acabou” com a Operação Lava Jato porque, segundo ele, “não tem mais corrupção no governo”. “Eu sei que isso não é virtude, é obrigação”, completou, em cerimônia no Palácio do Planalto para anunciar um pacote de ações que simplificam procedimentos de registro de pilotos e aeronaves.

“Eu desconheço lobby para criar dificuldade para vender facilidade. Não existe. É um orgulho dizer para essa nossa imprensa maravilhosa que eu não quero acabar com a Lava Jato. Eu acabei com a Lava Jato, porque não tem mais corrupção no governo”, afirmou ele. “Nós fazemos um governo de peito aberto e quando eu indico qualquer pessoa para qualquer local tendo em vista a quantidade de críticas que ela recebe por grande parte da mídia”, disse o presidente.

A declaração de Bolsonaro ocorre num momento em que ele é criticado por apoiadores da Lava Jato pela indicação do desembargador Kassio Nunes ao Supremo Tribunal Federal (STF) – nome que foi chancelado por integrantes do Centrão, os ministros do STF Gilmar Mendes e Dias Toffoli e parlamentares contrários à Lava Jato.

“Nós fazemos um governo de peito aberto e, quando eu indico qualquer pessoa para qualquer local, eu sei que é boa pessoa, tendo em vista a quantidade de críticas que ela recebe por grande parte da mídia”, comentou Bolsonaro, no evento.

A fala também foi dita no mesmo dia em que a Lava Jato deflagrou a 76ª fase da Operação, que mira um esquema de corrupção na venda e compra de combustível para navios utilizados pela Petrobras. No endereço de um dos alvos, a Polícia Federal encontrou quase 3 milhões de reais em dinheiro vivo.

O presidente que se elegeu com o apoio de movimentos lavajatistas e até nomeou o ex-juiz Sergio Moro como ministro da Justiça têm se afastado cada vez mais destes grupos nos últimos meses. Na época da campanha em 2018, Bolsonaro chegou a falar em indicar nomes ao Supremo com o mesmo perfil de Moro, que após a saída conturbada do governo virou um adversário político.

Em tese, quem tem o poder de manter ou acabar com a Lava Jato é o procurador-geral da República, Augusto Aras, que foi indicado por Bolsonaro ao posto desprezando a lista tríplice apresentada pela associação de procuradores. Em entrevista à VEJA, Aras afirmou que a “Lava Jato não pode ter dono”. Em setembro, a PGR comandada por ele prorrogou a força-tarefa de Curitiba até 31 de janeiro de 2021. Na mesma época, o procurador Deltan Dallagnol se afastou do cargo de coordenador da equipe de Curitiba e sete procuradores de São Paulo assinaram carta de renúncia aos trabalhos da Operação no estado.

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Mais notícias

Taboão: UPA Akira Tada apresenta queda no número de internações pela covid-19 e fecha segunda-feira sem óbitos

A UPA Akira Tada, unidade de referência no atendimento de pacientes da covid-19 em Taboão da Serra, vem apresentando uma queda no número de...

Prefeitura de Taboão da Serra inicia série de vídeos informativos com a prestação de contas dos 100 dias da nova administração

Renata Gomes No sábado, dia 10, completou 100 dias da nova Administração da Prefeitura de Taboão da Serra. Durante essa semana, serão divulgados vídeos informativos...

Prefeito Ayres Scorsatto e vice-prefeito José Belarmino são vacinados contra a covid-19 em Juquitiba

O prefeito de Juquitiba, Ayres Scorsatto e o vice-prefeito José Belarmino, de 67 anos, receberam na tarde desta segunda feira, dia 12, a vacina...

Secretaria de Cultura de Taboão da Serra realiza cursos de forma remota

Ana Rodrigues A Secretaria de Cultura de Taboão da Serra está realizando cursos de forma remota, nas modalidades de jazz, ballet oficina, ballet formação, danças...