27.9 C
Taboão da Serra
sábado, outubro 23, 2021
Início Notícias Os defeitos dos vinhos: saiba quais são como identificá-los

Os defeitos dos vinhos: saiba quais são como identificá-los

Por mais que o universo do vinho, atualmente, conte com muita tecnologia para a produção dos rótulos, ainda existem chances de nos depararmos com vinhos estragados, afinal, eles não estão 100% isentos da possibilidade de apresentar defeitos. Marco Carbonari, proprietário da vinícola Villa Santa Maria revela que, quanto mais vinhos você degusta, mais o seu paladar se aprimora e, dessa forma, fica mais fácil identificar os defeitos da bebida.

Marco Carbonari ressalta que, como os produtores passaram a ser mais rigorosos, não é comum encontrar vinhos com problemas e, de certa forma, alguns dos ‘defeitos’ podem ser relativos, uma vez que o gosto do consumidor pode influenciar na avaliação pessoal daquele rótulo.

Sabendo disso, saiba como identificar os defeitos presentes no vinho:

Bouchonné

Trata-se do defeito mais comum, porém, o que menos , de fato, pode ser impedido pelo produtor. Marco Carbonari explica que, em uma tradução literal, bouchonné significa “rolhado”, ou seja, é quando o vinho tem seu sabor e aroma alterado por conta do TCA presente na rolha ou da barrica.

Por mais que o TCA não seja prejudicial à saúde, Marco Carbonari comenta que o vinho fica extremamente desagradável.

Para notar esse defeito, basta atentar-se ao aroma da bebida. Se o cheiro se assemelhar com papelão molhado ou mofo, infelizmente, sua bebida está estragada.

Oxidação

Vinhos jovens, segundo Marco Carbonari, não devem apresentar características de vinhos envelhecidos, nem na cor e, principalmente no aroma e sabor. A oxidação indesejada pode vir a ocorrer em qualquer etapa mal procedida.

Marco Carbonari explica que, para identificar esse problema, repare se o sabor e o aroma não apresentam toques acéticos (que assemelham vinagre).

Redução

Marco Carbonari esclarece que, ao contrário da oxidação, a redução acontece quando a bebida tem um contato muito limitado a um ambiente redutivo. A principal característica de um vinho reduzido está no aroma que, na maioria das vezes, se assemelha a fósforo queimado, borracha queimada, repolho ou ovos podres.

Atente-se e evite se decepcionar durante a degustação. Se você quer saber mais sobre o assunto, visite a vinícola Villa Santa Maria. Marco Carbonari está à disposição para elucidar suas dúvidas e te apresentar vinhos esplêndidos.

Acesse o site e saiba mais: https://villasantamaria.com.br/visita/.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Mais notícias

Oito cidades da Grande SP adiam aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 após impasse sobre marca da vacina

Motivo é a divergência entre os governos federal e estadual sobre qual imunizante deve ser aplicado como terceira...

Oito cidades da Grande SP mantêm vacinação contra Covid-19 no feriado da Independência

Barueri, Embu das Artes, Francisco Morato, Guararema, Itaquaquecetuba, Santana de Parnaíba, Santo André e São Caetano do Sul...

Vias da cidade de SP e rodovias registram congestionamento na véspera do feriado de 7 de Setembro

A Artesp prevê cerca de 5,1 milhões de veículos nas principais estradas que passam pela capital paulista. Trânsito...

Princesa das tintas, conheça a Syrah

A uva Syrah é tida como uma das castas mais antigas que existem. Marco Antonio Carbonari explica que,...