20.6 C
Taboão da Serra
terça-feira, novembro 24, 2020
Início Política MP do Rio: grupo do atual procurador-geral terá 3 candidatos à sucessão

MP do Rio: grupo do atual procurador-geral terá 3 candidatos à sucessão

Três candidatos do grupo do atual procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem, se inscreveram na eleição para sucedê-lo. Começou oficialmente nesta sexta-feira, 2, a campanha para a eleição do próximo chefe do Ministério Público do Rio de Janeiro. São do grupo de Gussem os candidatos Virgílio Stavridis, Luciano Mattos e Ertulei Laureano. A inscrição de três aliados de uma mesma ala é considerada uma estratégia para formar uma lista tríplice sem a presença da opositora Leila Machado Costa e do bolsonarista Marcelo Rocha Monteiro. Ao contrário da nomeação para a Procuradoria-Geral da República, uma lei obriga que o governador do Rio escolha necessariamente algum dos três nomes mais votados pela categoria para chefiar o Ministério Público do começo de 2021 ao final de 2022.

Chamou atenção nos bastidores a confirmação na última hora do procurador Marcelo Rocha Monteiro, bolsonarista assumido e ex-marido da promotora Carmen Eliza Bastos de Carvalho, que se afastou do caso Marielle Franco depois de reveladas postagens suas em redes sociais de apoio à campanha do presidente Jair Bolsonaro em 2018. Dependerá do próximo procurador-geral de Justiça do Rio fazer as argumentações jurídicas, interrogar testemunhas e redigir as alegações finais no processo criminal que deverá ser aberto contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), o filho Zero Um do presidente. A denúncia contra Flávio já está pronta, mas ainda não foi protocolada no Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, onde Flávio deve ser julgado por 25 desembargadores. O futuro procurador-geral poderá delegar o caso de Flávio para algum outro procurador, se assim quiser, como Gussem fez, mas reservadamente alguns candidatos prometem se dedicar pessoalmente a processos contra políticos.

O procurador Marcelo Rocha Monteiro usa camisa com imagem de Jair Bolsonaro na campanha de 2018Facebook/Reprodução

A escolha de um novo procurador-geral pode mudar radicalmente o futuro de Flávio, porque o novo chefe da instituição poderá inclusive pedir a absolvição do senador no momento de apresentar as alegações finais do processo. Promotores temem acordos de bastidores entre os candidatos com Bolsonaro ou com o governador do Rio, Cláudio Castro (PSC). Castro já foi citado em investigações criminais que correm no Ministério Público do Rio e na Procuradoria-Geral da República.

Entre os candidatos mais próximos a Gussem, Stavridis era seu chefe de gabinete até se licenciar para a disputa, Mattos foi seu aliado à frente da Associação do Ministério Público do Rio de Janeiro (Amperj) por seis anos e Laureano foi seu assessor, além de ter sido colega de seu pai, o procurador Ivanir Gussem, e de ter presidido a Amperj nos últimos dois anos como representante desse mesmo grupo. Laureano tem dito que sua candidatura é independente. Todos eles são considerados aliados do ex-procurador-geral Marfan Vieira, que nos bastidores tem declarado apoio a Mattos. “Não sou um candidato vinculado nem ao Gussem nem ao Marfan. Sou independente”, declarou Laureano a VEJA.

Já Gussem diz que não tem candidato e se manifestou internamente de forma neutra. “Não tenho candidato. O momento é de a classe escolher quem representará a instituição no próximo biênio”, afirmou a VEJA.

Continua após a publicidade

Em mensagem enviada a promotores e procuradores, Gussem parabenizou e elogiou todos os candidatos, até os oposicionistas, por concorrerem para sucedê-lo. “Quero registrar que em razão do clima pacífico que reinou no curso dos 3 anos e 10 meses que estou à frente da chefia, não irei me pronunciar e externar minhas posições, opiniões e escolhas. Penso que tenho que respeitar igualmente todas as candidaturas e aguardar o resultado final”, afirmou aos colegas.

 

 

Na oposição, Leila Machado Costa foi subprocuradora de planejamento institucional da primeira gestão de Gussem e coordenadora da área de infância e adolescência na gestão de Vieira, mas rompeu com o grupo posteriormente. Rocha Monteiro é professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), foi integrante do Conselho de Segurança do governador afastado Wilson Witzel (PSC-RJ) e não esconde nas redes sociais algumas selfies com o senador Flávio Bolsonaro.

Promotores e procuradores vão votar no próximo chefe do Ministério Público do Rio no dia 11 de dezembro.

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Mais notícias

Embu das Artes divulga mais de 130 vagas de emprego na região; veja como se candidatar

A Fábrica de Empregos de Embu das Artes divulga esta semana mais de 130 vagas de emprego. Entre as oportunidades, há vagas para motorista...

Prefeitura de Embu das Artes promove Semana de Conciliação para negociação de impostos atrasados

Começou nesta segunda-feira, dia 23, a 11ª Semana Municipal de Conciliação para os contribuintes que estão em débito com a prefeitura de Embu das...

Shopping Taboão tem Black Week com descontos de até 70%

O Shopping Taboão, empreendimento da Aliansce Sonae, maior administradora de shoppings do país, inicia a Black Week – principal semana de ofertas do ano...

Taboão da Serra chega a 300 mortes por coronavírus; a mais nova vítima é uma bebê de 27 dias

Taboão da Serra chegou a 300 mortes por coronavírus nesta segunda-feira, dia 23, após registrar mais um óbito pela doença nas últimas 24 horas....