A Polícia Civil de São Paulo prendeu nesta quarta-feira, 5, o sexto suspeito de ter participado, na noite do último dia 29, de ataques a agências bancárias na cidade de Botucatu, no interior paulista. Ele foi detido no bairro de Sapopemba, zona leste da capital paulista. Cinco pessoas suspeitas já haviam sido presas na região onde o crime ocorreu. Segundo a polícia, o suspeito foi identificado a partir da análise de materiais apreendidos com as primeiras pessoas capturadas. Nas buscas na casa dele, foram localizados R$ 21 mil e algumas notas apresentavam sinais de chamuscamento. No celular do suspeito, foi encontrado um mapa do deslocamento até Botucatu. O dinheiro e o aparelho estão sendo periciados.

No último domingo, 2 , a polícia prendeu em flagrante quatro mulheres e um homem, suspeitos de prestarem apoio médico aos autores do roubo. Eles foram capturados na Rodovia Presidente Castelo Branco, em Itatinga (SP), e indiciados por associação criminosa. Na noite do último dia 29, criminosos atacaram e explodiram uma agência bancária em Botucatu. Os bandidos agiram coordenadamente para atacar três agências na região central da cidade. Em outras duas foram encontrados explosivos não detonados. O ataque começou por volta das 23h30 e se estendeu por três horas.

PCC

Há indícios de envolvimento do Primeiro Comando da Capital (PCC) nos recentes assaltos a agências bancárias no interior de São Paulo. A afirmação foi feita pelo promotor de justiça do Ministério Público de São Paulo, Lincoln Gakiya. Segundo ele, considerando as características dos recentes assaltos é possível que as ações estejam ligados aos mesmos criminosos. “Pelo DNA dos ataques é bem possível que seja um grupo organizado, que tenha ligação entre a maioria dos ataques e os que criminosos estejam ligados entre si. As investigações estão correndo na Polícia Civil, mas há indícios do envolvimento da facção paulista nessas ações”, afirmou.

* Com informações da Agência Brasil