O Twitter anunciou que baniu milhares de contas associadas com a teoria de conspiração QAnon, que indica um suposto plano nas profundezas do estado dos EUA contra o atual Presidente, Donald Trump, e respectivos apoiantes.

De acordo com o Engadget, a rede social já baniu mais de 7 mil contas associadas a esta teoria da conspiração, tendo bloqueado outras 150 mil de surgirem em recomendações. É uma postura mais agressiva da empresa liderada por Jack Dorsey que tem como intuito reduzir a desinformação na plataforma antes das eleições presidenciais do final de 2020.

“Temos sido claros de que tomaremos medidas a respeito de comportamento com o potencial de levar a perigo fora da plataforma. De acordo com esta abordagem, estamos tomando medidas na chamada atividade ‘QAnon’ em todo o serviço”, pode ler-se no ‘tweet’ partilhado pela empresa.

A empresa informou também que as suspensões serão permanentes e afetará contas que violem a “políticas de múltiplas contas, coordenem ataques a vítimas individuais ou estejam tentando evitar suspensões anteriores”.