19.6 C
Taboão da Serra
quinta-feira, dezembro 2, 2021
spot_img
InícioSão PauloUSP busca voluntários para estudo sobre autocuidado de pacientes com diabetes na...

USP busca voluntários para estudo sobre autocuidado de pacientes com diabetes na pandemia da Covid-19


Além da doença, interessados precisam ter mais de 18 anos. Em Ribeirão Preto, diabetes é segunda comorbidade mais associada às mortes causadas pelo novo coronavírus. USP busca voluntários para estudo sobre autocuidado de pacientes com diabetes na pandemia
Pacientes com diabetes e mais de 18 anos podem se inscrever até quinta-feira (15) para uma pesquisa da USP de Ribeirão Preto (SP) que busca entender o comportamento de pessoas que convivem com a doença diante da pandemia da Covid-19.
Os voluntários precisam preencher um formulário disponível na internet. O tempo médio para o preenchimento é de dez minutos.
O estudo é realizado por representantes da Faculdade de Medicina (FMRP), Escola de Enfermagem (EERP), além de Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), que buscam chegar a dois mil voluntários de todo o país.
Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto
EPTV/Reprodução
O objetivo dos pesquisadores é entender o autocuidado e as dificuldades enfrentadas por esses pacientes, que fazem parte do grupo de risco da Covid-19, durante o período de isolamento social.
Atrás somente da doença cardiovascular crônica, a diabetes é a segunda comorbidade mais associada às mortes da pandemia em Ribeirão Preto e esteve presente em ao menos 289 óbitos, o equivalente a 36% delas, segundo boletim epidemiológico de terça-feira (13).
De acordo com os responsáveis, os resultados do estudo ajudarão os profissionais de saúde a adequar os cuidados com os pacientes diabéticos durante a pandemia, período marcado por mudanças de comportamento como aumento de consumo de bebidas alcoólicas, alimentos menos saudáveis e sedentarismo.
Em outro estudo realizado pela USP com 1,7 mil pessoas, as respostas apontaram que a mudança na rotina levou ao aumento dos índices glicêmicos de 59% dos participantes, mesmo percentual apurado para pessoas que informaram ter reduzido as atividades físicas.
Os cientistas também alertam que a infecção do novo coronavírus em pessoas com diabetes pode levar a alterações metabólicas que exigem mudanças no tratamento, além de afetar, de um modo geral, o sistema imunológico dos infectados, com uma maior chance de desenvolver diabetes tipo 1.
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca
Assista ao Bom Dia Cidade de quarta-feira (14)

- Advertisment -spot_img

Mais notícias