19 C
Taboão da Serra
sábado, outubro 24, 2020
Início Política O presidente e seus malabares

O presidente e seus malabares

Jair Bolsonaro é um homem com muitos problemas.

Precisa manter a governabilidade, sem a qual pode se inviabilizar e cair. Para isso, tem de manter o equilíbrio fiscal.

Precisa proteger seu clã: sua mulher, três de seus filhos, suas duas ex-mulheres e ele mesmo são alvo de investigações criminais. Para isso, tem de controlar a Procuradoria-Geral da República e ter boas relações no Supremo.

Precisa impedir que um processo de impeachment avance no Congresso. Para isso, tem de controlar o Centrão.

Precisa se reeleger. Para isso, não pode desagradar a seus eleitores ainda fiéis, e tem de viabilizar o Renda Cidadã, que custará 30 bilhões.

Bolsonaro escolheu para o Supremo Kassio Marques, indicado do Centrão e com bom trânsito na esquerda, e o levou a um beija-mão na casa de Dias Toffoli. Lá estava Davi Alcolumbre, interessado em obter o apoio do presidente e do STF para encontrar um meio (que a lei não prevê) de se manter presidente do Senado. A indicação de Kassio e a visita foram excelentes para estreitar as relações do presidente com o Centrão, o Supremo e o Senado.

Continua após a publicidade

Por outro lado, a escolha de Bolsonaro e o escandaloso convescote desagradaram profundamente a duas de suas bases eleitorais mais importantes: os radicais, com presença intensa nas redes, e a bancada evangélica, que esperava alguém mais conservador; Bolsonaro tentou consertar dizendo que “o próximo indicado será pastor”. Já o PGR Augusto Aras, que estava de olho na vaga e não é pastor, não deve ter gostado do soneto e menos ainda da emenda.

“Como Bolsonaro conseguirá manter o equilíbrio fiscal se gastar 30 bilhões sem cortar em lugar nenhum?”

Quanto ao Renda Cidadã, não é simples conseguir 30 bilhões num país quebrado e em recessão. Até agora, quase todas as ideias para obter o dinheiro foram descerebradas: tirar dos benefícios sociais (“dos pobres para os paupérrimos”), dar calote em quem já se deu calote antes (precatórios), tirar das crianças (Fundeb). Só uma boa ideia apareceu: fazer cumprir a lei que limita a 39 000 reais, remuneração de um ministro do STF, os salários dos servidores — ideia, aliás, tão boa que a gente se pergunta por que não foi tentada no começo do governo. Não foi tentada antes pelo mesmo motivo que não vai ser tentada agora: exige comprar briga com a elite do funcionalismo, o que consumiria trabalho e esforço, e tira voto.

Outro caminho para viabilizar o Renda Cidadã seria aumentar impostos, mas Rodrigo Maia já avisou que não vai pautar, e, se ficar para o ano que vem, só entra em vigor em 2022. Ainda que consiga aumentar impostos, Bolsonaro tem de flexibilizar o teto de gastos, o que não é fácil (Maia já avisou que não pauta) e com certeza derrubará os mercados. Resta aumentar o endividamento, mas a dívida já está alta demais, cara demais e perigosamente curta: o mercado vai reagir. É claro que Bolsonaro poderia fazer as famosas reformas, tão prometidas — mas sempre adiadas, porque, afinal, reforma dá trabalho e tira voto.

E como Bolsonaro conseguirá manter o equilíbrio fiscal se gastar mais 30 bilhões sem cortar em lugar nenhum?

Há malabares demais no ar. Se cair um, caem todos. E Bolsonaro nunca foi famoso por ser bom malabarista.

Publicado em VEJA de 14 de outubro de 2020, edição nº 2708

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Mais notícias

Suspeito de cometer estupro se suicida em cela da delegacia em Taboão da Serra

Um jovem de 20 anos, suspeito de cometer estupro de vulnerável, foi encontrado morto em uma das celas do 1º Distrito Polical de Taboão...

Taboão da Serra contabiliza 19 novos casos de covid-19 e duas mortes nas últimas 24 horas

Taboão da Serra contabilizou mais duas mortes e 19 novos infectados por covid-19 nas últimas 24 horas. Com isso o número de óbitos pela...

Programa Cidade Legal já beneficiou mais de 2,7 mil famílias de Taboão da Serra

Em mais um evento no Cemur, realizado em pequenos grupos de pessoas e com os protocolos de segurança, a prefeitura de Taboão da Serra...

Bandidos fazem ‘arrastão’ em ônibus em Embu das Artes

Três homens assaltaram um ônibus em Embu das Artes. O crime aconteceu na tarde de quarta-feira, dia 21. Um dos criminosos foi preso. ...