19.4 C
Taboão da Serra
sábado, outubro 24, 2020
Início Política Xeque de Xi em Bolsonaro (por José Casado)

Xeque de Xi em Bolsonaro (por José Casado)

Jair Bolsonaro começa a perceber que fez um mau negócio ao se meter na guerra econômica dos Estados Unidos contra a China.

Apostou num tratado de comércio com Donald Trump. Fracassou. No melhor cenário, vai chegar ao meio do mandato com um acordo de compra de material bélico nos EUA, e “facilidades” de vistos para empresários.

Idealizou uma “reinvenção do Brasil” à sombra de Trump, na definição do burlesco e inepto chanceler Ernesto Araújo, e hostilizou o Partido Democrata, que controlam a Câmara. O troco veio num documento público: “Nos opomos firmemente a qualquer tipo de acordo comercial com o governo Bolsonaro.” A frase dá a dimensão das dificuldades num eventual governo Joe Biden.

Amadorismo diplomático custa caro. Bolsonaro ajudou a propagar ideias hostis aos chineses, como a do “comunavírus”. Acreditou na ficção da “nova ordem” à margem da China, a potência emergente. Mas, no meio da guerra de Trump contra o “exército tecnológico de 5G” da Huawei, apelou ao líder Xi Jiping por socorro para viabilizar um leilão de petróleo.

Em silêncio, Pequim mudou de tática. Um ano depois, o xeque de Xi: nunca o Brasil esteve tão dependente da China. Entre janeiro e agosto aumentaram em 14% as compras chinesas no mercado nacional. Já as vendas totais aos EUA caíram 32%.

Hoje, Pequim é destino de 40% das exportações do agronegócio. É o maior cliente, e, também, o comprador quase exclusivo (72%) de soja. Suas aquisições de alimentos já superam em US$ 5 bilhões a soma das compras feitas pelos EUA, América Latina, Europa, África e Oriente Médio. A trading estatal chinesa Cofco prevê aumento de importações em 5% ao ano durante a próxima década.

Bolsonaro ficou prisioneiro no front da guerra EUA-China. Terá de decidir se aceita a tecnologia 5G da Huawei. É escolha política com consequências, como nas questões ambientais do acordo Mercosul-União Europeia. Começa a descobrir a falta que faz a diplomacia profissional na condução da política externa.

 

Transcrito de O Globo

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Mais notícias

Suspeito de cometer estupro se suicida em cela da delegacia em Taboão da Serra

Um jovem de 20 anos, suspeito de cometer estupro de vulnerável, foi encontrado morto em uma das celas do 1º Distrito Polical de Taboão...

Taboão da Serra contabiliza 19 novos casos de covid-19 e duas mortes nas últimas 24 horas

Taboão da Serra contabilizou mais duas mortes e 19 novos infectados por covid-19 nas últimas 24 horas. Com isso o número de óbitos pela...

Programa Cidade Legal já beneficiou mais de 2,7 mil famílias de Taboão da Serra

Em mais um evento no Cemur, realizado em pequenos grupos de pessoas e com os protocolos de segurança, a prefeitura de Taboão da Serra...

Bandidos fazem ‘arrastão’ em ônibus em Embu das Artes

Três homens assaltaram um ônibus em Embu das Artes. O crime aconteceu na tarde de quarta-feira, dia 21. Um dos criminosos foi preso. ...